Receba nossas noticias por e-mail...

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Reunimos os principais lançamentos dos últimos anos que ocorreram numa das principais mostras do mundo


Do Salão de Paris para o mundo

Reunimos os principais lançamentos dos últimos anos que ocorreram numa das principais mostras do mundo

25/09/2012 - Rafael Mandelli / Fonte: iCarros
 
 
O Salão de Paris é um dos mais antigos eventos desse tipo no mundo. Também é o espaço reservado pelas montadoras para mostrarem as tendências e um pouco sobre o futuro do mercado. Mas, nem só de conceitos vive uma mostra como essa. O salão também foi palco de muitos lançamentos, inclusive novidades que chegaram ao mercado brasileiro. Confira as apresentações mais interessantes das últimas edições da mostra.
 
  • 1 | 8
  • 2010 - Mercedes-Benz CLS
  • Sem imagemSem imagemSem imagemSem imagem
     
 
Uma das principais novidades na edição de 2010 foi o lançamento da atual geração do Mercedes-Benz CLS. Com interior refinado, o CLS ainda entrega um desenho agressivo, adjetivo que é reforçado pelo motor 5.5 V8 a gasolina sobrealimentado por duas turbinas que desenvolve 543 cv de potência.

Conheça os hot dogs mais populares em inglês



  • Potato Dog
    Em New Jersey, você pode experimentar o Potato Dog, que vem com “spicy hot dog” (salsicha picante), “diced stewed potatoes” (batatas cozidas em cubinhos) e “brown mustard” (mostarda marrom).
Cachorro quente é uma paixão internacional. E pedir um desses fora do Brasil é simples. Basta pedir umhot dog. Mas e os acompanhamentos? Aqui, a gente vê purê, vinagrete, milho, catupiry… Já nos Estados Unidos, as variações vão mais além. Vamos ver com que as pessoas costumam incrementar seus hot dogs em inglês:
Agora, você só precisa botar o pé na estrada para experimentar os hot dogs de outros lugares. Ou comprar os ingredientes para fazer em casa.

Bom apetite!

Proposta de 7,5% de aumento agrada bancários que sinalizam fim da greve


Atualizado às 21h24 SÃO PAULO - O comando de greve dos bancários vai recomendar que as assembleias que serão realizadas...

Atualizado às 21h24
SÃO PAULO - O comando de greve dos bancários vai recomendar que as assembleias que serão realizadas a partir desta quarta-feira votem pelo fim da greve da categoria. Nesta terça-feira, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) fez uma nova proposta, de reajuste de 7,5% nos salários, com aumento real de 2%.
Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), a greve deve prosseguir hoje - será o nono dia de paralisação -, e a recomendação pelo fim da greve ainda será votada pelas assembleias dos 137 sindicatos representados pela entidade.
"Quem vai decidir são os trabalhadores em assembleias. Pode ser que amanhã a greve já acabe em alguma cidades e em outras quinta ou sexta. Depende das assembleias que serão marcadas pelos sindicatos", afirmou Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT.
A proposta aprovada nesta terça-feira pelo comando nacional também prevê o aumento de 8,5% tanto no piso salarial da categoria como no valor dos tíquetes de vale-alimentação e vale-refeição.
Pelo acordo, o vale-alimentação passa de R$ 339,08 para R$ 367,92. O vale-refeição vai de R$ 19,78 para R$ 21,46 por dia. O piso do caixa sobe de R$ 1.900 para R$ 2.056,89. O aumento proposto pela Fenaban para a parte fixa da participação nos lucros e resultados (PLR) e para o teto do adicional foi de 10% (aumento real de 4,37%). A PLR adicional é de 2% do lucro líquido distribuído de forma linear.
"Nesses dias de greve conseguimos romper com o silêncio dos bancos. No ano passado, tivemos um ganho real de 1,5% com uma greve de 21 dias. Este ano tivemos um movimento mais forte e com menos dias conseguimos um aumento real de 2%", afirmou Cordeiro. "Tivemos avanços também na questão da segurança bancária, vamos discutir um projeto piloto em conjunto com a Fenaban sobre o assunto. Temos avanços na saúde, na questão da igualdade de oportunidades."
No início da negociação, os sindicatos pediram uma reajuste de 10,25% (aumento real de 5%), enquanto os banqueiros ofereciam um aumento de 6% (aumento real de 0,58%).
Nesta terça-feira, no oitavo dia de paralisação, 9.551 das 21.714 agências do País ficaram fechadas. A greve dos bancários teve início em 18 setembro e foi decidida no dia 13 de setembro.
Em São Paulo, maior centro financeiro do País, segundo o último balanço do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, a paralisação teve a adesão de 35 mil bancários na segunda-feira. A base do sindicato tem 138 mil trabalhadores.
"A nossa avaliação é de que tivemos avanços nos principais pontos da reivindicação e o aumento real de 2% é próximo ao de outras categorias neste ano", afirmou Juvandia Moreira, presidente do sindicato.

Revisor do mensalão conclui hoje voto sobre políticos acusados de corrupção | Agência Brasil


Débora Zampier
Repórter da Agência Brasil
Brasília - O julgamento da Ação Penal 470, processo conhecido como mensalão, terá mais uma etapa concluída nesta quarta-feira (25) no Supremo Tribunal Federal (STF). A Corte abre o vigésimo oitavo dia de julgamento com o fim do voto do revisor, Ricardo Lewandowski, sobre as acusações de corrupção passiva de políticos da base aliada ao governo entre 2003 e 2004.
Desde o início do julgamento, Lewandowski vem apresentando votos mais amenos que o do relator Joaquim Barbosa, e os demais ministros têm formado maioria com uma média entre os dois pontos de vista. No Capítulo 6, que trata de corrupção passiva entre os partidos da base aliada, Barbosa condenou 12 dos 13 réus ligados ao PP, PL (atual PR), PTB e PMDB. Ele absolveu apenas o ex-assessor do PL Antônio Lamas.
Até agora, Lewandowski analisou a situação de nove réus ligados ao PP e ao PL, que respondem por 23 acusações no total, divididas entre corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Enquanto Barbosa concordou com 21 acusações em relação aos dois partidos, Lewandowski aderiu a apenas 13 imputações feitas pelo Ministério Público Federal (MPF).
Além de Lamas, o revisor também absolveu o deputado federal Pedro Henry (PP-MT) e um dos sócios da corrtora Bônus Banval, Breno Fischberg, de todos os crimes. O ministro também discordou da maioria das acusações de lavagem de dinheiro, entendendo que a ocultação de recebimento por meio de terceiros faz parte do próprio ato de corrupção. Dos nove réus que tiveram conduta analisada pelo ministro até agora, seis foram absolvidos do crime de branqueamento de capitais.
O julgamento será retomado à tarde com o voto do revisor sobre os réus ligados ao PTB e ao PMDB. Ontem (25), em entrevista ao chegar ao STF, Lewandowski disse que ainda não sabe se entrará no mérito sobre o motivo que levou os parlamentares a se corromperem. 'É o que veremos no próximo capítulo. Vou estudar, meus votos estão em constante elaboração. No momento apropriado, eu vou apresentar'.
Para o MPF, houve compra de apoio político, mas, nas únicas manifestações sobre o assunto, Lewandowski disse que os pagamentos eram fruto de acordos sobre dívidas de campanha.
Depois de Lewandowski, votam, na ordem, os ministros Rosa Weber, Luiz Fux, Antonio Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello, Celso de Mello e o presidente da Corte, Carlos Ayres Britto. O julgamento da segunda etapa do Capítulo 6, que trata dos crimes de corrupção ativa, só deve ser iniciada na próxima segunda-feira (1º). Nessa parte, figuram os réus ligados a Marcos Valério e ao PT.
Edição: Lana Cristina
Agência Brasil - Todos os direitos reservados.

A Chegada de Eva


Confira a Retrospectiva da Gestação de Eva!
Confira a Retrospectiva da Gestação de Eva! - 1 (© Reprodução Twitter)
Próxima
Anterior
Reprodução TwitterMOSTRAR MINIATURAS
Anterior1 de 50Próxima
Por FAMOSIDADES
SÃO PAULO – Nesta terça-feira (25), Angélica deu à luz Eva. A menininha, que é a primeira filha da apresentadora com Luciano Huck, nasceu de cesariana, com 48 cm e 2,8kg.
A apresentador deu entrada nesta tarde na maternidade Perinatal da Barra da Tijuca, no Rio, contrariando as informações de que teria a filha somente no dia 3 de outubro, de cesárea.
Os papais da garotinha já eram pais de dois meninos: Joaquim, de sete anos, e Benício, de quatro. Agora, a família aumentou!
Desde 6 de março, quando a mamãe tweetou a novidade em seu perfil oficial, a ansiedade pela vinda da herdeira aumentava a cada semana.
Pela rede social, Angélica sempre postava imagens do barrigão e mensagens alegres na expectativa da chegada da pequena.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

ESTREIA-Walter Salles pega carona com Jack Kerouac em "Na Estrada"


Reuters, reuters.com, Atualizado: 13/07/2012 05:39

ESTREIA-Walter Salles pega carona com Jack Kerouac em "Na Estrada"

Levou oito anos para Walter Salles concluir o esperado "Na Estrada", a adaptação de um dos maiores clássicos beat de todos os tempos, "On the Road" ("Pé na Estrada"). Assinado por Jack Kerouac e publicado em 1957, o livro se tornou uma das bíblias da contracultura, embalando gerações à procura de liberdade e experimentação na própria pele, numa era pré-Internet.
Concorrente à Palma de Ouro em Cannes 2012, esta coprodução entre a França e o Brasil --apesar da produção executiva assinada pelo velho leão do cinema independente norte-americano, Francis Ford Coppola-- dividiu opiniões em sua passagem pelo festival francês, o que certamente acompanhará também sua trajetória nos cinemas.
Conduzido com a habitual perícia de Salles, que leva consigo o roteirista portorriquenho Jose Rivera e o diretor de fotografia francês Éric Gautier, seus parceiros em "Diários de Motocicleta" (2004), o filme encharca-se da melancolia que é o tom predominante do livro, narrando as memórias do escritor iniciante Sal Paradise --o alterego de Kerouac--, interpretado com intensidade na medida pelo ator britânico Sam Riley, o magnético intérprete do roqueiro Ian Curtis em "Control".
É toda construída de nostalgia, portanto, esta memória das aventuras juvenis na estrada de Sal e seu amigo Dean Moriarty, este, por sua vez, o alterego do escritor Neal Cassady, interpretado por Garrett Hedlund com uma voracidade que homenageia o jovem Marlon Brando, ator que chegou a ser pensado pelo próprio Kerouac para o papel, numa das muitas tentativas frustradas de adaptação para o cinema.
A tensão entre as diferenças profundas entre os dois personagens, unidos por uma mesma fome de vida, embalam uma vertiginosa troca de paisagens, de Nova York ao México, riscando na pele dos dois, e de vários companheiros de caronas pela estrada, um mapa de acontecimentos fortuitos. Como bebedeiras, canções, trabalhos eventuais, comida ruim ou nenhuma, a exposição às intempéries do clima, a camaradagem encontrada e logo perdida. E as mulheres.
KRISTEN STEWART E ALICE BRAGA
Personagens marginais no livro, as mulheres ocupam um pouco mais de espaço na tela. A principal é Marylou (Kristen Stewart, deixando "Crepúsculo" para trás), a primeira mulher de Dean, que se torna uma espécie de galvanizador entre ele e Sam, já que Dean insiste em que ela vá para a cama com o amigo.
Esta espécie de amoralidade, que também se espalha ao consumo de drogas, além de bebidas, é um lembrete de um tempo bem mais libertário e libertino do que os dias atuais, cristalizando uma espécie de utopia em busca de uma vida sem limites que a chegada da maturidade baliza para Sal, mas não para Dean, que sonha em viver sem compromissos para sempre.
A segunda mulher de Dean, Camille (Kirsten Dunst, vivendo personagem inspirada em Carolyn Cassady), é justamente essa "voz da razão" na vida dele. Mãe de seus dois filhos, ela sinaliza seu desejo de parada e estabilidade. Mas não é essa a natureza de Dean.
Alguns personagens à beira do caminho introduzem um sabor especial, que desenha melhor essa época. O maior deles é Old Bull Lee (Viggo Mortensen), uma espécie de guru junkie diretamente calcado na figura do escritor William S. Burroughs, o autor de "Almoço Nu" que era o mais velho do grupo beat e, ironicamente, apesar das viagens de todos os tipos que fez, foi o que morreu mais velho: 83 anos. Kerouac e Cassady morreram antes dos 50 anos; o poeta Allen Ginsberg (no filme representado pelo personagem Carlo Marx, interpretado por Tom Sturridge), com 71.
Pequenas e marcantes são, igualmente, as passagens de três outras atrizes: Amy Adams, como Jane, mulher de Old Bull Lee, e alterego de Joan Vollmer, a primeira mulher de Burroughs que ele matou acidentalmente com um tiro; Elisabeth Moss, como Galatea Dunkel, a jovem esposa abandonada pelo marido, Ed Dunkel (o estreante Danny Morgan), representando os personagens reais Al e Helen Hinkle; e a única brasileira do elenco, Alice Braga, como Terry, jovem mexicana com quem Sal tem um rápido caso quando colhe algodão na Califórnia e que evoca Bea Franco, que escreveu várias cartas a Kerouac, em 1947.
Steve Buscemi interpreta um homem que dá carona aos protagonistas e Terrence Howard (indicado ao Oscar por "Ritmo de um Sonho"), o jazzista Walter, traduzindo uma pegada mais jazzística do que roqueira na trilha sonora assinada pelo argentino Gustavo Santaolalla (outro parceiro de Salles em "Diários de Motocicleta").
Não se trata de um filme catártico, e sim de um grande mergulho na melancolia, na perda, na passagem do tempo e das paixões. A câmera se instala na pele dos personagens e não larga mais seu turbilhão, seu frenesi pela vida, sua pulsão pelo movimento, pela experiência direta.
"Na Estrada" realiza, assim, seu maior desafio: capta o aspecto fugaz do tempo presente, as relações humanas que se acendem e duram o instante de um fósforo, imperfeitas, passageiras, mas fundamentais.
(Por Neusa Barbosa, do Cineweb)
* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

Antes de pegar o Brasil, EUA humilham República Dominicana em amistoso pré-Londres






Antes de pegar o Brasil, EUA humilham República Dominicana em amistoso pré-Londres
Seleção dos EUA de basquete durante amistoso (Durant, Paul, Coach K)
Principal favorita à medalha de ouro no basquete da Olimpíada de Londres-2012, a seleção dos Estados Unidos realizou nesta quinta-feira, em Las Vegas, o primeiro amistoso de preparação para os Jogos. E como era de se esperar, o time norte-americano massacrou a República Dominicana por 113 a 59.

Agora, o time dos Estados Unidos viaja até Washington e começa a treinar para o amistoso do dia 16 de julho contra a seleção brasileira, que conquistou nesta quinta-feira o torneio Super Four ao bater a Argentina na grande decisão.



Nesta quinta-feira, a República Dominicana chegou a abrir 4 a 2 no início do jogo, mas a partir dali, não viu mais o adversário perto no placar. Com precisão nos chutes de três pontos e até se dando ao luxo de jogar por muito tempo sem um pivô em quadra, os Estados Unidos massacraram o oponente.

O principal destaque do jogo foi Kevin Durant. O ala do Oklahoma City Thunder começou no banco de reservas, mas acabou com 24 pontos e dez rebotes. Andre Iguodola, também reserva, fez 18 pontos, enquanto Carmelo Anthony anotou 13. Já Deron Williams foi o "garçom" da noite com 11 assistências.



Titulares, Kobe Bryant e LeBron James jogaram menos de 20 minutos na partida. Por esse motivo, ambos tiveram atuações discretas, combinando para apenas 11 pontos juntos

6 Dicas para seus relacionamentos durarem




6 Dicas para seus relacionamentos durarem
No fundo, no fundo (às vezes nem tão fundo assim!), todo mundo gostaria de ter uma receita para fazer um relacionamento durar e se manter sempre feliz. Eu mesma gostaria de poder dar esse tipo de receita aqui, pois ela ajudaria milhares de pessoas a conseguirem o sucesso no amor. A má notícia, no entanto, é que esse tipo de receita, ou fórmula mágica, simplesmente não existe. E a razão para isso é bastante compreensível: relacionamentos são compostos por pessoas, e pessoas são diferentes umas das outras. Há casais que passam a vida inteira se relacionando de maneiras que outras pessoas jamais se relacionariam. Felicidade para um casal pode ser infelicidade para outros, e vice-versa. Se as pessoas são tão diferentes entre si, como uma única fórmula poderia se aplicar a todos?

Imagino que neste momento vocês devem estar achando paradoxal um artigo que contém dicas para que os relacionamentos durem iniciar dizendo justamente que não há receitas para isso. Há, porém, uma diferença importante entre receitas/fórmulas e dicas. Enquanto as primeiras são espécies de “passo a passo para o sucesso”, as últimas devem ser tomadas como sugestões, ou seja, são “relativizáveis”, são flexíveis. Em outras palavras, as dicas não são uma regra que se aplique em qualquer caso. Cabe, portanto, ao leitor encontrar as sugestões que se adequem ao seu próprio estilo e à sua personalidade. Vamos lá?

Diálogos evitam brigas 

Os homens costumam ter uma certa implicância com o tal de “discutir a relação”, mas a verdade é que estas conversas geralmente são extremamente saudáveis para os relacionamentos. Quando pequenas insatisfações vão se acumulando, a tendência é que, com o tempo, elas se tornem uma enorme bola de neve de mágoas, reclamações e raivas. Às vezes essa bola de neve é tão grande que, quando ela “rola”, “soterra” a relação. Melhor do que deixar a bola de neve crescer é cortar o mal pela raiz, ou seja, ir conversando aos poucos, conforme as questões vão surgindo. Meninas, isso não significa discutir a relação o tempo todo ou sempre que vocês quiserem. Lembrem-se de que conversas dependem da vontade de duas pessoas.

Esfriem a cabeça para tomar decisões 

Brigas são inevitáveis, infelizmente este é um fato do qual nenhum casal consegue escapar. Isso não significa, no entanto, que as brigas sejam um bom momento para a tomada de decisões. Pelo contrário, estas são ocasiões em que é melhor não resolver nada, pois as chances de arrependimento são grandes demais. Se as cabeças estão quentes, esperem esfriar. Se afastem, durmam, conversem com outras pessoas... Enfim, façam o possível para pensar as coisas de maneira mais equilibrada para, só então, tomar decisões.

1+1=2

“Você me completa”, “nós dois somos um só” e frases análogas podem ser muito bonitas e poéticas, mas não são verdadeiras. Na matemática mais elementar, uma pessoa somada à outra resultam em duas pessoas, e não em uma só. Cada uma delas tem seus próprios pensamentos, seu próprio jeito de ser, sua própria individualidade, suas próprias vontades... Por mais óbvio que tudo isso pareça, há casais que se esquecem disso, e sofrem por este esquecimento. O resultado é que um acaba querendo que o outro pense e aja exatamente como ele(a) pensaria e agiria, e tenta impor sua visão quase “na marra”. Não dá.

Joguem frescobol

Pegando “emprestado” o pensamento de Rubem Alves, há relações que são como o tênis e outras que são como o frescobol. Nas primeiras, é a competição que domina: cada um precisa impor sua ideia, “ganhar” do outro, atingi-lo em seus pontos fracos, tudo isso com o objetivo de sagrar-se vencedor (a). No frescobol, pelo contrário, não há um vencedor e um perdedor. Os dois jogam juntos com um mesmo objetivo: o de não deixar a bola (ou a relação!) cair. Se um ganha, os dois ganham. Se um perde, os dois perdem. Assim sendo, em uma relação o ideal é que ambos joguem frescobol. Em muitos relacionamentos, as disputas acabam se tornando mais importantes do que a relação em si, o que não apenas é cansativo, mas também desgastante para os dois. Joguem juntos, e não um contra o outro!

Fujam da rotina

Depois de um tempo de relacionamento, é natural que tudo deixe de ser uma novidade, que as intensas emoções do início se amenizem e que a rotina acabe chegando. Isso não quer dizer, no entanto, que, a partir deste momento, a relação precise necessariamente se tornar chata e monótona. Cabe ao casal impedir que isso aconteça, fazendo todo o possível para conseguir escapar da rotina. Tentem fazer coisas diferentes, divirtam-se juntos, inventem programas, façam planos, surpreendam um ao outro. Ou seja, deixem a rotina somente para o que for inevitável!

Mantenham a chama acesa

Um dos efeitos mais notáveis da rotina na vida de um casal é no que diz respeito ao sexo. Se no início o sexo era ótimo, empolgante, arrebatador, desejado quase o tempo todo, com o tempo o encanto parece ir se desfazendo e a coisa vai naturalmente “esfriando”. Não deixem, então, que ele esfrie. Sejam criativos também no sexo, inventem, criem, mudem de cenário, tentem coisas novas... Mantenham sempre a chama acesa!



Este artigo foi escrito por:

Dra. Mariana Santiago de Matos
Psicóloga

Currículo


Busca Rápida

Busco:
Idade:
Estado:



Carolina Ferraz revela que ficou tentada com proposta da "Playboy"





Carolina Ferraz revela que ficou tentada com proposta da "Playboy" - 5 (© Arquivo Famosidades)
Próxima
Anterior
Anterior
  • Camila Pitanga vai protagonizar remake de "Dancin' Days" - 1 (© Divulgação TV Globo)
  • Solteira, Sabrina Sato está à procura de seu príncipe encantado - 2 (© Arquivo Famosidades)
  • Brendan Fraser é processado por agressão - 3 (© Arquivo Famosidades)
  • Site de prostituição usa foto de Iran Malfitano - 4 (© Reprodução)
  • Carolina Ferraz revela que ficou tentada com proposta da "Playboy" - 5 (© Arquivo Famosidades)
  • Ex-RBD vai gravar participação em "Rebelde" - 6 (© Divulgação)
  • Bárbara Paz estaria descumprindo regras para vencer “Dança dos Famosos” - 7 (© Divulgação TV Globo)
Próxima
Arquivo Famosidades
Anterior5 de 7Próxima
MAIS: Carolina Ferraz recusa convite da "Playboy"
Por FAMOSIDADES
RIO DE JANEIRO - Aos 43 anos, Carolina Ferraz virou alvo da “Playboy”. Decididos a convencer a atriz a tirar a roupa, os editores da revista ofereceram um cachê de R$ 3 milhões para ela estampar a capa de aniversário da publicação.
Apesar de ter recusado o convite, Carolina ficou tentada com a proposta. “Era uma oferta tentadora. Fiquei feliz pela oferta, ainda mais por ter 43 anos e tal. Não tenho nada contra quem faça, seja por se sentir melhor, mais bonita... Não sei se daria conta. Quem sabe um dia, a vida é longa e louca”, contou à revista “Quem”.
Bastante vaidosa, a atriz se joga na academia para poder compensar seus abusos gastronômicos. “Fritura é irresistível. Evito em casa, mas de vez em quando me jogo em um boteco. Não sou chegada em doce, gosto de uma balinha e adoro sorvete”, afirmou.
No elenco de “Avenida Brasil”, na pele da socialite Alexia, Carolina comentou o sucesso da trama escrita por João Emanuel Carneiro.
“Às vezes a gente ganha uma expectativa, mas a novela não dá muito certo. ‘Avenida Brasil' é um espetáculo, com todos os núcleos muito bons. Gostaria que o Cadinho [Alexandre Borges] acabasse com as três de uma vez", confessou.