Receba nossas noticias por e-mail...

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Comprei e não vou: Solução para a revenda de ingressos

Muita gente acha que Startup para valer só existe no Vale do Silício. Que grande engano! Nos últimos anos, as startups de países como Brasil, Índia e China estão roubando a cena, com muita criatividade e ousadia, atraindo investimento estrangeiro e mostrando que você pode estar em qualquer parte do mundo para criar algo inovador.
A ideia deste espaço é justamente ser um espaço para divulgar algumas das Startups brasileiras mais interessantes, que só precisam de um empurrãozinho para crescer e se desenvolver. E, se a questão é divulgação, este é o blog certo para isso. Vamos acompanhar a primeira Startup a ser apresentada: Comprei e Não Vou.

Qual a proposta da Startup?

A ideia do Comprei e Não Vou é servir como um mural, estilo classificados, onde as pessoas anunciarão ingressos de eventos que compraram e não poderão ir, pelos mais diversos motivos. Desta forma, a pessoa não precisaria se deslocar até a entrada do evento e ter que passar pelo perrengue de ficar procurando quem queira comprar o seu ingresso, como muitas vezes acontece, ou mesmo perder seu dinheiro. Os anúncios são gratuitos para o vendedor e não há taxas para o comprador.
O Comprei e Não Vou também é muito útil para quem não conseguiu comprar seu ingresso a tempo, por já estar esgotado, mas que está com muita vontade de ir para o evento. Assim, ele poderá comprar seu ingresso por um preço mais justo do que na hora, comprando através de cambistas.
O site começou em setembro de 2011, como resultado do trabalho de Daniel Araujo, Felipe Cypriano, Bruno Borges e Lucio Simões.

Originalidade

Sem dúvida, esta é uma ideia interessante, mas que ainda precisa amadurecer. Hoje o Comprei e Não Vou funciona apenas como um classificados de jornal, onde o anunciante coloca seus dados no site para contato, através de Facebook, email ou telefone. Mas não é possível comprar através do site, nem há um mecanismo de reputação do vendedor. Falta mais comodidade para o comprador, que ainda precisa verificar se o ingresso está mesmo à venda, ligar para o vendedor e fechar todo o negócio “ao vivo”.

Viabilidade

Sim, é uma ideia viável. E pode ter um bom futuro, tornando-se o maior espaço para revenda de ingressos no Brasil. Mas para tanto, será preciso torná-la viável comercialmente, implementando mecanismo de compra onde o site receberia uma comissão pela venda do ingresso. Para quem vende, o anúncio poderia continuar gratuito, pagando apenas essa comissão por venda. O mecanismo de pagamento poderia utilizar PayPal, PagSeguro ou similar, ferramentas no qual as pessoas estão acostumadas e que são simples de implementar.
Um mecanismo de reputação seria fundamental para quem compra, pois saberia se aquele vendedor já vendeu ingresso alguma vez e o que outros compradores acharam. Também seria uma forma de resguardar o Comprei e Não Vou de possíveis problemas futuros. Algumas medidas de segurança já foram tomadas: existe hoje uma forma de reportar abuso de vendedores e mesmo conferir se o vendedor é quem diz que é, através de validação de CPF. Também há algumas dicas no site.
Todas essas alterações podem estar a caminho: os responsáveis estão planejando colocar estas funcionalidades no futuro, porém falta a viabilidade jurídica e financeira para isso. Investidores, fiquem atentos, ou podem deixar passar este bom investimento.

 

Design

O site é fácil de navegar, de encontrar informações e atinge perfeitamente o objetivo. Só senti falta de alguma identidade no logotipo, que é muito simples, não passa qual a ideia do site. Também sugiro fazer um teste para ver se cores mais claras e vivas não cairiam melhor no site. Eventos remetem a alegria, diversão, cores. Hoje predominam os tons de cinza.

Recomendações

- Não vi o link para o blog no site. Achei através do perfil no Facebook (que aliás, é muito bem usado). Poderia ser interessante ter esse link.
- Poderia aparecer a foto do vendedor no anúncio. Como o sistema se integra ao Facebook, seria fácil “puxar” a foto de lá.
- Confesso que não acho legal aparecer o telefone e email publicamente. Eu, particularmente, ficaria com receio de publicar um anúncio se soubesse que não há nenhuma privacidade de meus dados.
- Uma dica de design: Lá no menu superior, ao clicar em “Alterar/remover anúncio” ou em “Como funciona”, abre um div com com conteúdo. Porém se clicar de novo no link, ele não some, somente quando se pressiona o [X] do div. Se vocês usarem o toggle do jquery, resolveria esse problema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá caro amigo, para comentar presisa se registrar no blog.
Já se registro? ok agora você já pode comentar avontade, criticas, agredecimentos, opiniões, sugestões, etc.
seje construtivo.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.